Servidores do GHC cobram testagem em massa de profissionais de saúde: ‘A população corre riscos’

Da Redação

Servidores do Grupo Hospital Conceição (GHC) realizaram nesta segunda-feira (6) um protesto para cobrar da direção da instituição que todos os trabalhadores que atuam no enfrentamento à covid-19 sejam testados e que os profissionais que estão nos chamados grupos de risco sejam colocados de licença.

“Pedimos, através do Ministério Público, da Justiça, o afastamento dos colegas que têm comorbidades, doenças crônicas, da linha de frente, principalmente. Pedimos a testagem de todos. Pedimos EPIs. Corremos um grande risco”, disse Arlindo Ritter, presidente da Associação dos Servidores do GHC (ASERGHC), durante o ato.

Para ele, a não realização de testes generalizados nos hospitais do grupo faz com que muitos profissionais estejam trabalhando contaminados, ainda que não saibam disso, o que coloca em risco a saúde de colegas e dos pacientes.

“A população passou a correr riscos, risco de saúde, risco de morte. Por quê? Nós exigimos que todos trabalhadores sejam testados, principalmente da linha de frente, da tenda covid, da emergência, da UTI, do bloco e depois todos. Porque nós temos muitos colegas assintomáticos, que estão aí sem saber que estão positivados e estão sendo vetores, passando para os demais colegas”, disse.

Arlindo destacou que a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é para que seja feita testagem em massa em todas as equipes de saúde.

De acordo com os servidores, dois funcionários do GHC já faleceram após terem contraído covid-19. O Hospital Conceição é umas das instituições de referência do sistema público de saúde para o tratamento da doença em Porto Alegre.