Todos na Praça da Matriz para derrotar o Pacote de Maldades do Sartori/PMDB

O governador e candidato à reeleição, José Ivo Sartori/PMDB, já deu declarações, vazadas para a imprensa, de que pretende votar o que resta do seu Pacote de Maldades antes do recesso parlamentar do meio do ano. Por isso, aumentou a pressão sobre os deputados da base aliada para votar, ainda nessa semana, as PECs que formalizam o atraso de salários, dá o calote no 13º salário e ataca os sindicatos de servidores.

Para garantir a manutenção dos direitos dos servidores, a UGEIRM está convocando todos os policiais para estarem na Praça da Matriz, a partir desta terça-feira (04), pressionando os parlamentares para rejeitarem o Pacote de Maldades do governo Sartori/PMDB. A UGEIRM vai estar, a partir das 10 horas da manhã, acompanhando a reunião de líderes que definirá a pauta de votação.

Para o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, “a presença dos policiais na Praça da Matriz é fundamental. Conseguimos impedir, até agora, o governador Sartori/PMDB de retirar direitos básicos dos policiais, como o de receber os salários em dia. Mas, agora é a hora de enterrarmos de uma vez esse Pacote de Maldades. Vamos ocupar a Praça da Matriz e pressionar os deputados estaaduais. Os policiais do interior, que não puderem vir para Porto Alegre, também têm o papel fundamental de pressionar os parlamentares em suas bases eleitorais. Devemos lembrar aos deputados que 2018 é ano de eleição e eles tem duas opções: continuar abraçados a um dos piores governos da história do RS, ou se colocar ao lado dos policiais que garantem a segurança da população, colocando suas vidas em risco mesmo com salários atrasados e péssimas condições de trabalho. Essa escolha vai ser lembrada no momento do voto em 2018 e eles tem que saber disso”.

PECs que devem ir a votação:

257/2016 – acaba com a obrigatoriedade de pagar em dia os salários e o 13º.

261/2016 – altera o artigo 37 da Constituição, extinguindo o “tempo fictício”.

242/2015 – extingue a licença-prêmio;

256/2016 – acaba com a liberação de dirigentes para os sindicatos;

258/2016 – acaba com os adicionais por tempo de serviço;