Em plena Pandemia, presos continuam ocupando celas de delegacias

Nem mesmo as decisões judiciais são capazes de fazer o governo resolver o problema dos presos nas celas das delegacias. O mesmo governo que é elogiado por sua atuação durante a Pandemia, descumpre a decisão que determina a retirada imediata de todos os detidos das carceragens das delegacias gaúchas e que mais nenhum preso permaneça nas dependências das Delegacias de Polícia. A sensação que se tem, é que a segurança dos (as) policiais civis importa menos do que a do restante da população.

Os profissionais da segurança pública já estão em risco constante de contágio, a partir do momento em que não têm a opção de ficar em suas casas durante a Pandemia. O que se espera do governo do estado, é que garanta o máximo de segurança para que esses profissionais executem seu trabalho, que é considerado, pelo próprio governo, como essencial para a sociedade. Infelizmente, não é o que vem ocorrendo. A presença de presos lotando as celas das delegacias representa um risco real e desnecessário a esses (as) policiais. Esse também é o entendimento do Judiciário que, em sua Decisão que determina a retirada dos presos, qualifica como “crime contra a humanidade” a manutenção dos presos nas delegacias em plena Pandemia do Coronavírus.

A direção da UGEIRM pretende, novamente, notificar o TJ/RS solicitando a tomada das medidas cabíveis para o efetivo cumprimento, por parte do governo do estado, da Decisão Judicial. Os (as) Policiais Civis não podem ter suas vidas colocadas em risco dessa forma.