Entidades da Segurança preparam mobilização por Promoções e reposição de pessoal

A UGEIRM participou, nesta terça-feira (09), de uma reunião com as entidades da Segurança Pública, para debater as pautas em comum às categorias. A reunião que contou, além da UGEIRM, com a presença da AMAPERGS, SINDIPERÍCIAS e ABERGS, debateu, principalmente, o grave problema do déficit de pessoal na área da segurança pública, a publicação das Promoções das categorias, que foi prometida para o mês de março, e a reposição salarial da Segurança Pública gaúcha.

Promoções

Quanto às Promoções, as entidades decidiram intensificar a pressão sobre o governo Eduardo Leite, para que as mesmas sejam publicadas no mês de março, como apontado pelo próprio governo às entidades. Os relatos demonstram que existe uma tensão nas categorias, pela demora da Publicação e pela expectativa criada pelos vários anúncios que não foram cumpridos até agora.

Reposição do efetivo

A avaliação unânime das entidades foi de que o déficit de pessoal é, hoje, um dos principais problemas da segurança pública do estado. O déficit em todas as categorias é o maior da história e o governo precisa tomar medidas imediatas para amenizar o problema, que se tornou ainda mais grave com a Pandemia do Novo Coronavírus. Em vista disso, as entidades decidiram cobrar do governo do estado, além de mobilizar a Assembleia Legislativa, pela convocação imediata dos servidores aprovados nos últimos concursos públicos. A ideia é pedir encontros com a Presidência da Assembleia Legislativa, com a Liderança do Governo e com a Casa Civil do Estado, para expor a situação vivida por cada umas categorias da Segurança Pública. As entidades também se posicionaram favoráveis ao projeto de lei que tramita na Assembleia, de autoria do deputado estadual Neri, o Carteiro, que trata da suspensão dos prazos de validade dos concursos já homologados durante o período de vigência do estado de calamidade pública. Pelo PL, o prazo dos concursos volta a correr a partir do fim do período de calamidade.

Reposição salarial

Em diferentes níveis, as categorias presentes enfrentam um processo acelerado de desvalorização salarial. Além do grande período sem nenhuma reposição salarial, a inflação voltou a atormentar a população brasileira, causando uma corrosão acentuada no poder de compra dos (as) Policiais. Diante dessa situação, as entidades reivindicam a abertura de um processo efetivo de negociação salarial com o Governo do estado. Como forma emergencial, para amenizar a defasagem salarial das categorias, as entidades encaminharam ao governo a proposta de uma reposição de aproximadamente 12%, como foi concedida pelo governo aos capitães da Brigada Militar. A extensão desse reajuste seria uma forma de amenizar essas perdas salariais

Para o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, “a união das categorias da Segurança Pública é fundamental. Os problemas são comuns a todas as categorias e a mobilização conjunta fortalece as reivindicações dos trabalhadores. Quem ganha com isso, é a população que vê a luta pela segurança pública ainda mais fortalecida”.