Mais de 120 presos lotam as delegacias da Capital e da região Metropolitana

Foto: presos em viatura na frente de Delegacia de Polícia – 26/03/2021

O que já era grave, ficou ainda pior. Nesta sexta-feira (09), 125 presos lotavam as delegacias de polícia da Capital e da região Metropolitana. Na quinta-feira eram 95 presos, o que demonstra que, longe de ser resolvida, a situação vem se agravando. Num quadro de descontrole da Pandemia do Novo Coronavírus, esses números se tornam ainda mais graves.

O risco a que estão expostos os policiais civis e a população que precisa dos serviços da Polícia Civil, é enorme. Além dos riscos de uma rebelião ou tentativa de fuga, temos os enormes riscos de disseminação da Covid-19 entre os presos e a própria população. É importante ressaltar, que esses presos, em algum momento, terão que sair das delegacias e que poderão levar o vírus para os presídios do estado. Além dos Policiais civis que, apesar de vacinados, continuam suscetíveis a contrair o vírus e levá-los para os seus familiares. Ou seja, essa situação é uma verdadeira bomba-relógio, que pode jogar por terra toda a política de distanciamento social do governo do estado.

O Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, apela, novamente, aos poderes do estado. “A UGEIRM já fez esse apelo dezenas de vezes, no entanto, vamos fazer de novo: o Judiciário, o Ministério Público e o Legislativo, precisam tomar alguma providência. Existe uma Decisão Judicial que obriga o Executivo a retirar todos os presos das delegacias. Mas parece que a vida dos policiais que estão nas delegacias não tem importância. O próprio TJ reconheceu que essa situação pode ser considerada um crime contra a humanidade, mas o governo continua parado, deixando que os policiais e os presos fiquem expostos ao contágio pela Covid-19. Até quando os poderes serão coniventes com essa situação? Até quando os Policiais e a sociedade terão que aguentar tanto descaso com os profissionais da segurança pública?”