Seminário de Promoção à Vida e Prevenção ao Suicídio para servidores da Segurança acontece na próxima terça (01)

Lidar diariamente com o combate à criminalidade exige bastante equilíbrio emocional. Situações adversas e, por vezes, estressantes se tornam normais por serem parte da rotina de trabalho dos servidores da Segurança Pública. Para promover a conscientização sobre a importância dos cuidados com a saúde mental, o Comitê Estadual de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio, com apoio da Secretaria da Segurança Pública e de suas instituições vinculadas, vai realizar um seminário voltado aos profissionais da área. O intuito é debater e desmistificar o adoecimento mental entre policiais. As inscrições são gratuitas (clique aqui)

O evento ocorrerá no Auditório do Ministério Público do Rio Grande do Sul, no dia 1º de outubro, marcando o encerramento do Setembro Amarelo, mês designado à campanha nacional de prevenção do suicídio. A programação vai das 8h às 16h. 

“A gente sabe que os servidores da Segurança Pública, assim como profissionais de outras áreas, acabam somando estresses e têm sua saúde mental prejudicada. Por isso, uma das finalidades do seminário é essa: conversar sobre essa questão para que o profissional note que ele precisa estar com a sua saúde mental em dia”, disse Andréia Volkmer, coordenadora do comitê organizador. 

Por se tratar de um assunto amplo, o seminário terá duas finalidades: conscientização sobre adoecimento mental e dicas de abordagens nas ocorrências que envolvam riscos relacionados ao tema, como tentativas de suicídio. Para falar sobre o primeiro ponto, foi convidada a psicóloga da Universidade de Buenos Aires, Alícia Galfasó, além do perito Anderson Morales, que vai abordar a contribuição do Instituto-Geral de Perícias (IGP) no entendimento do fenômeno suicídio. 

A major Cláudia Ferrão Vargas, psiquiatra e chefe do Setor de Psiquiatria do Hospital da BM em Porto Alegre, ressaltou a importância de colocar a temática em pauta. “O objetivo é desmistificar o assunto, auxiliando os servidores a reconhecerem sinais de alerta em si mesmos ou nos colegas. Auxiliá-los a perceber que algumas alterações de comportamento e pensamento são sintomas de doença e que podem ser tratadas”, disse. 

A outra finalidade das palestras é difundir as técnicas necessárias no atendimento de uma ocorrência de tentativa de suicídio. Para abordar o tópico, foi convidado o Major Diógenes Martins Munhoz, do Corpo de Bombeiros de São Paulo. O oficial, bacharel em Direito e Engenheiro Civil, é idealizador de um curso sobre o tema. “Entendemos de grande importância capacitar os servidores para que tenham melhores condições de atender este tipo de ocorrência”, explicou Cláudia. 

Este é o primeiro seminário destinado ao nicho de servidores da Segurança Pública realizado pelo Comitê Estadual. Outros eventos desse cunho já foram realizados neste ano, visando jovens e adolescentes. “Há uma sensibilização do público acerca do tema. Eles se deram conta de que o silêncio fazia com que nós tivéssemos números elevadíssimos de mortes por suicídio”, afirma Andréia em relação ao impacto dos seminários na sociedade.